FAN PAGE

terça-feira, 2 de julho de 2013

CAMINHONEIROS PARALIZAM DIVERSAS RODOVIAS EM TODO O PAÍS

Fim do pedágio é uma das principais exigências dos caminhoneiros

 

Centenas de caminhões iniciaram a semana bloqueando desde as primeiras horas da segunda-feira (1) vários trechos de algumas estradas em São Paulo e Minas Gerais.  Os manifestantes reclamam do preço do diesel, querem isenção do pedágio em todas as estradas federais e dizem que só desbloqueiam as estradas na quinta-feira.


 
Apenas ambulâncias e veículos que transportavam cargas perigosas foram liberados para passagem pelo acostamento. Os caminhoneiros ameaçavam interditar o pedágio e entrar em fila na cidade de Araçatuba com seus veículos, mas desistiram da ideia depois de conversas com os policiais rodoviários, que acompanharam a movimentação e impediram o fechamento do pedágio com a justificativa de garantir a segurança para manifestantes e motoristas.


Protestos já paralisam 09 estados

Caminhoneiros continuam com a série de protestos nesta terça-feira (2) em rodovias em ao menos nove Estados: Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. As informações são da Polícia Rodoviária Federal e das concessionárias responsáveis pelas vias.
 
Santa Catarina

Mesmo com a decisão da Justiça Federal de proibir os caminhoneiros de bloquear as rodovias de Santa Catarina, os manifestantes continuam paralisados no Oeste do Estado e não têm previsão de voltar ao trabalho.


Segundo a Polícia Rodoviária Federal de Chapecó, a adesão ao movimento aumenta a cada dia e nova cidades estão com pontos de manifestação. Estão liberados apenas veículos de  passeio,  ônibus,  cargas perecíveis e ambulância.

Os motoristas protestam contra as mudanças na rotina de trabalho que a lei 12.619, que regulamenta a profissão, vai impor aos profissionais. Segundo o presidente da Cooperativa Catarinense de Transportes de Cargas (Coocatrans), Maurício Devenci Vendrame, as mudanças deveriam ser gradativas. “O recomendado pelo Ministério da Saúde é 8h de sono, mas de repente nos vemos obrigados a fazer 11h de repouso. Isso afeta o nosso orçamento. Deveria ser uma mudança progressiva”, reclama Vendrame.

Sobre a proibição da Justiça Federal, o presidente da Coocatrans comenta que os caminhoneiros já estão no prejuízo com as mudanças, independente de multa. “Se é pra morrer de fome, morremos agora”, exclama.

Em Maravilha, cerca de 400 caminhões estão parados no km 605 da BR-282. E a situação é igual em outros pontos do Estado. De acordo com boletim da PRF, os pontos críticos são em Maravilha (km 605  da BR 282), Catanduvas (km 406,5  da BR 282), São Miguel do Oeste (km 645  da BR 282), Cunha Porã (km 110  da BR 158), Dionísio Cerqueira (km 121  da BR 163), Xanxerê (km 505  da BR 282) e Chapecó (km 123,7  da BR 480).
 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário